Notícias

Projeto está a formar cidadãos mais conscientes

Quarta, 22 de Agosto

18 jovens chegam ao fim do projeto “Juntos pela floresta, todos contra o fogo no município de Estarreja 2012”, promovido pela Câmara Municipal de Estarreja, com o dever de missão cumprida. Durante um mês, vigiaram a área florestal, contribuindo para a redução do número de ocorrências. Agora que terminaram os trabalhos de vigilância, nestes jovens permanece a responsabilidade de sensibilização para a proteção e preservação do nosso património natural e da biodiversidade.

A experiência mudou a forma como estes voluntários olham para a floresta. Num curto espaço de tempo, os voluntários recolheram 2 mil toneladas de lixo, uma quantidade demonstrativa de atos irresponsáveis e ilegais que continuam a acontecer longe dos nossos olhos. “Já sabia que existiam lixeiras, mas não tinha noção do que podia encontrar, foi um pouco chocante ver algumas coisas”, afirmou Maria Ana Cunha, 17 anos, na sessão de encerramento do projeto, que decorreu na última semana, na Biblioteca Municipal.   

Os grupos apresentaram um balanço às entidades parceiras: Câmara, Bombeiros Voluntários e GNR. A Equipa Sul, na qual esteve integrada a Maria Ana, mostrou até onde pode ir a falta de civismo da população. Encontraram objectos de todo o tipo – sofás, tendas, cartões de crédito, pneus, ossos, párachoques -, ficaram impressionados com a quantidade de lixeiras e sobrantes e com os terrenos que existem por limpar, atos que aumentam a probalidade de ocorrência de incêndios.

A sua missão é permanente e passa a estar presente no dia-a-dia destes jovens. “Dificilmente esse problema se pode resolver nos próximos anos devido às mentalidades, mas creio que com as novas gerações que aqui estamos a formar, talvez seja possível porque vamos transmitir essa ideia aos nossos amigos, pais e daqui a uns anos aos nossos filhos e assim tentaremos mudar a realidade”, assevera.

Entre os aspetos positivos, para além do trabalho em equipa, destacam o convívio, o contacto com a natureza, o conhecimento geográfico do concelho e a realização pessoal por melhorar o espaço público. “Foi muito gratificante“, dizia Maria Ana que se sentia“um bocado triste por chegar ao fim“. Esta jovem estudante promete voltar para o ano.


Jovens preservam património que outros não cuidam 

O projeto de defesa da floresta em Estarreja tem formado algumas dezenas de jovens e estes “18 são mais um contributo para mudar a mentalidade”, salientava o vereador João Alegria, em representação da Câmara Municipal, lamentando “com muita tristeza” a realidade com que se depararam os voluntários. A floresta é um bem precioso que deve ser preservado e nesse sentido este é um projeto muito positivo. O responsável fica “plenamente satisfeito” por ver “jovens sensibilizados, com valores e que trabalham para preservar este nosso património, que muitas vezes as pessoas não cuidam”, rematando que a “sensibilização tem que ser feita cada vez mais e por todos nós”.

Em representação do Destacamento Territorial da GNR de Ovar, o Sargento-mor Costa mostrava-se “maravilhado e sensibilizado com a demonstração destes jovens”, numa “atividade que traz mais-valia para preservar a floresta”, desejando que “o país todo tenha jovens como vocês”.

O fator prevenção associado ao projeto foi evidenciado por Altino Silva, dos Bombeiros Voluntários de Estarreja, que encara esta contribuição dos jovens como um fator inibidor e uma “ajuda para diminuir os fogos”. Além do trabalho de recolha do lixo, os voluntários procedem à inventariação de situações sensíveis, como os montes de resíduos florestais que “são um caso sério, um problema grave”, alertou. Desde janeiro, e até meados de agosto, os bombeiros registaram 45 alertas para pequenos focos de incendio, sendo a maior parte em auxílio de outras corporações fora do nosso concelho.

Para além da vigilância, estes jovens realizaram o inventário e caracterização da rede viária florestal e de pontos de água, recolheram lixo e realizaram ações de sensibilização destinadas à população.

 

Dados a reter

. 18 jovens voluntários

. 30 dias, 6 horas por dia

. 2 toneladas de lixo recolhido

. Zero alertas de incêndio

. 92 caminhos inventariados e caracterizados

. Dezenas de lixeiras identificadas

. Vários montes de sobrantes florestais identificados

Projeto está a formar cidadãos mais conscientes